4 Comentários

  1. Adelson Clemente

    Caro João Paulo
    O seu texto está muito bom, gostei da lucidez com que tratou o tema. Como você deve ter percebio Dussel utiliza as categorias já existentes mas as aborda numa perspectiva nova,dando-lhe um plus de sentido, tendo como pano de fundo a America Latina. Ele tem essa ousadia e profunidade no pensar por causa da experiência de vida. Tendo estudado na Europa percebe que América não existia. Era um “outro” tão excluído que nem mesmo era citado nos livros e manuais.
    Este é um dos motivos que impulsionou Dussel a refletir sobre a realidade da Americana. Seu exemplo serve para todo filósofo que perscruta os ditames da reflexão, ao lê-lo, percebo que não se pode ficar alheio a sua realidade, a filosofia convida refletir sempre. Continue assim, pois a America Latina necessita de pessoas reflexivas que a ajude vencer a opressão, a injustiça, a marginalização, enfim, pessoas que se importem com o outro e que se dediquem na construção de um mundo melhor.

    Responder
  2. João Batista Santiago Ramos

    Meu amigo, outro, joão Paulo, fico alegre com sua escrita e aponto que o movente do filosofar dusseliano é, no fundo, sua capacidade de acreditar, de ter esperança e utopiar a partir da realidade latina, sem pretender-se aprisionado a um filosofar exclusivamente latino, abre-se para o planeta. O sonho de um mundo distinto, a utopia possível enchem de esperança e desejo o humano. Precisamos da espera criadora, aquela que cria projetos e faz vislumbrar programas factíveis, realizáveis, ainda que lentamente oxiden-se. A utopia, como movente do humano, faz com que continuemos na luta pela transformação da realidade vivida.

    Responder
  3. João Paulo

    A filosofia de Dussel, realmente, é uma libertação.
    Nos faz perceber nossa própria realidade e, como já foi mencionado, nos enche de esperança pela humanidade e, principalmente, pela a America latina.
    Obrigado, Adelson e João Batista, pelo comentário.

    Responder
  4. Camila Zandona

    Boa noite João Paulo,

    Tenho que fazer um seminario sobre a ética da libertação. Através do seu post pude clarear um pouco minhas idéias sobre o tema, porém li varios textos e ainda não me sinto preparada para apresentar.
    Gostaria de perguntar se você teria alguma indicação de leitura ou algum material que possa me passar para me ajudar?

    Desde já agradeço.
    Camila Zandona

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *