2 Comentários

  1. Mauro Castro

    Um amigo acaba de me enviar um intrigante texto sobre CULINÁRIA:

    “As pessoas eram, de fato, aferventadas em caldeirões e assadas no espeto, na grelha ou por exposição a um fogo aberto. Também foram assadas no vapor, cozidas em pedras preaquecidas e em fogões de terra, defumadas, decompostas primeiro, ressecadas, pulverizadas, postas em conserva, enfiadas em tubos de bambu e colocadas nas brasas, seus ossos queimados até se transformarem em cinzas e misturados a muitos tipos de molhos, sucos e mingaus. Um corpo podia ser enterrado e depois exumado e comido em seu estado de podridão.” (VISSER, Margaret. O Ritual do Jantar. Rio de Janeiro: Campus, 1998, p. 16.)

    São os primórdios da ANTROPOFAGIA…

    Responder

  2. Após ler este trabalho fiquei pensando nas palavras que ficaram na minha mente: eu – caráter – felicidade – sabedoria – valentia – coragem.
    A felicidade que tanto buscamos não está longe de nós, como um grande sonho que passamos a vida inteira perseguindo, mas ela está aqui, bem dentro de nós.É a sabedoria de saber viver, de enfrentar com coragem os nossos medos, fracassos e sermos fortes para morrer ou viver por aquilo em que acreditamos ser o melhor para nós.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *