4 Comentários

  1. Tarcisio Moreira

    “A criação do Além-do-homem é para Nietzsche uma tentativa, uma necessidade de mostrar que o espírito carece de uma metamorfose, carece de uma saída do aprisionamento da moral, da teologia. Uma necessidade de o homem atravessar a perigosa travessia, o perigoso caminhar na corda estendida na possibilidade de sua existência.”
    Belíssima conclusão! Não poderia ser diferente, pois Nietzsche ao metamorfosear-se se projetando neste além do homem ele quebra o casulo moralista do ser na busca de uma existência potencialmente mais plena! Existire= passar a ser= um caminhar eterno da criação! O ato de existir já nos coloca neste caminho… a moral, a ética, podem ser setas no caminho, mas não o caminho!

    Responder
  2. Fabiano

    Caro harley, lendo seu artigo me surgiu alguns questionamentos:
    Este super-homem de Nietzsche se refere a um homem diferente, especial, superior aos demais, semlehante a um heói das histórias em quadrinhos ou se refere à uma nova humanidade?
    Nietzsche filosofa basicamente a cerca dos valores, qual é o anseio presente no pensamento do filósofo em relação aos valores?
    parabéns pelo artigo! Muito bem redigido!

    Responder
  3. Adeilson Silva

    ESSE “ALÉM-DO-HOMEM” CRIADO POR NIETZSCHE, NADA MAIS É DO QUE A SUPERAÇÃO DESSE HOMEM PRESO AOS GRILHÕES DA MORAL CRISTÃ, AQUELE QUE ESTÁ ALÉM DO BEM E DO MAL!!

    Responder
  4. José márcio

    Na verdade, o “Além-homem”, na minha simples reflexão que ja fiz ao ler Nietzsche, é uma tentativa de repensar e reorganizar o que restou do ser humano ante o maior de todos os acontecimentos recentes, isto é, a ascenção do niilismo. Como pensar a vida ante o vazio existencial sem deixar com que todos as suas consequencias nao executem os possiveis horizontes de sentidos humanos. Assim penso.O que acham?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>