4 Comentários

  1. Luiz Antônio da Silva

    Oi. Bom artigo. Sua reflexões estão bem fundamentadas. Sou estudante de direito em Conselheiro Lafaiete e tenho me dedicado um pouco na reflexão filosófica dentro do direito, sendo que a filosofia hobbesiana é um ponto de apóio. MAs, com a leitura de seu artigo, surgia um questionamento: O Estado Moderno, com todo o seu aparato judicial com o objetivo de garantir a cada indivíduo o direito a propriedade e liberdade individuais, sendo até lícito, com fundamento constitucional, Art. 5º, que permite o mesmo instaurar pena de morte em estado de guerra declarado; este Estado não seria o grande “Leviatã” de Hobbes? Quando penso que foi necessário estabelecer constitucionalmente direitos e grarantias fundamentais, princípios implícitos como a solidariedade, para tentar estabelecer um pouco de harmonia na sociedade. Veja bem a que pónto que chegamos com nossa racionalidade: é necessário estabelecer convenções para garantir a paz entre indivíduos, temos como exemplo o pacto de Costa Rica.
    Talves a tarefa da filosofia esteja apenas se iniciando. Mais do que refletir sobre a natureza humana ou a necessidade do surgimento do estado, talvez seja a hora do desabrochar. Colocar nossa racionalidade em prática. Mais do que escrever é viver o que se escreve. Pois, o lobo está quase saindo da jaula. O Estado Democrático de Direito não conseguiorá contê-lo. Abraços
    att. Luiz Antônio

    Responder

  2. Oi.É um excelente artigo. Suas reflexões e ideias são otimamente bem fundamentada.Sou estudante do Ensino Médio.

    Responder
  3. dina nunes

    ótimo artigo,bom resumo e boa reflexão.

    Responder
  4. Danielle

    ótimo artigo e maravilhosa reflexão.
    Pena que não me ajudou em nada, mas valeu mesmo assim 😉

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *